CACOAL – Atualizada: Polícia registra o segundo homicídio de 2016

Conforme BOP da Polícia Militar, na tarde deste sábado (09/01) por volta das 15h00m, a Central de Operações recebeu a informação de que em um estabelecimento comercial na Rua Gonçalves Dias, Bairro Vista Alegre em Cacoal, havia uma pessoa alveja a tiros.

Imediatamente foi deslocada ao local uma guarnição, encontrando a vítima, identificada como Clarinda Maciel da Silva de 19 anos, nos fundos do Mercado, a princípio pode-se observar que a vítima estava com duas perfurações na face e não apresentava sinais vitais, em seguida chegou ao local uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros, onde constataram o óbito.

Uma testemunha disse que estava no comércio com a vítima, que era operadora de caixa, quando apareceu o ex-amasio da mesma, identificado por Vanderlei Ri de Vanites de 38 anos, chamou Clarinda para os fundos do comercio, após alguns instantes de dialogo, a testemunha ouviu disparos de arma de fogo, com medo procurou se esconder.

Ainda segundo a testemunha, Vanderlei chegou no estabelecimento, sozinho em uma motoneta Honda Broz, cor vermelho e branca, o mesmo usava camiseta listrada e calça jeans.

A perícia técnica da Polícia Civil compareceu para fazer os trabalhos de praxe e constatou quatro disparos de arma de fogo que acertaram a vítima, sendo três na face e um na altura do tórax, após o trabalho pericial o corpo da vitima foi removido por uma funerária de plantão.

Em diligencia na residência de Vanderlei, os policiais encontraram uma sacola com uma camiseta e uma calça jeans molhados, entre outros objetos, as vestes foram mostradas e reconhecidos como a roupa usada pelo agente no momento do crime.

Familiares da vítima informaram que Clarinda vinha sofrendo ameaças constantes após o termino do relacionamento, inclusive chegando a ser registrado boletim de ocorrência.

Uma irmã de Vanderlei, disse que hoje teve uma conversa com o irmão através do WhatsApp, o mesmo teria dito que iria tirar a vida da vitima e depois iria se matar, toda conversa foi feita por áudio e vídeo e ficou registrado no celular da irmã.

Após o crime Vanderlei se apossou do celular da vítima e uma testemunha ligou para o número e Vanderlei atendeu a ligação e quando ela se identificou ele desligou o aparelho.

Todo material apreendido na sacola encontrado na residência do agente foi entregue ao comissariado de plantão juntamente com o BOP (Boletim de Ocorrência Policial) para as providências legais.

cla

cla2

cla3footofoooto

Fonte: cacoalnoticias

Verifique também

Em Vilhena, homem leva tiro após revelar desejo de transar com mulher de amigo

Um homem foi baleado durante uma discussão motivada por ciúmes na noite deste domingo, 21 …