segunda-feira, março 1, 2021

CRISE: Prefeito de Rolim de Moura corta o próprio salário em 30% e dos servidores comissionados em 20% (Ouçam a coletiva)

DSC_0536Na manhã desta terça-feira (01/09), o Prefeito de Rolim de Moura (RO), Luizão do Trento, realizou uma coletiva de imprensa onde explanou várias situações que o município vem passando. O prefeito esclareceu que atualmente o município passa por uma crise financeira e  a situação deve se agravar ainda mais, se a população que deve para o município não quitar o débito com Administração Municipal.
DÉBITOS
O prefeito explicou que a prefeitura municipal deve hoje mais de R$ 17 milhões de reais, sendo a arrecadação do município em torno de R$ 7 milhões de reais e a uma folha de pagamento no valor de R$ 5 milhões de reais. O município possui quase R$ 1 milhão de reais em parcelamentos de contas e precisa receber toda a arrecadação, o que ainda não aconteceu.
SALÁRIOS DOS SERVIDORES
Questionado sobre o parcelamento do salário dos servidores, o Prefeito frisou que não existe parcelamento, somente está repassando o dinheiro que tem na conta para pagar o salário líquido do servidor. De acordo com o prefeito, estará efetuando o pagamento dos servidores até o dia 03 de setembro e dia 08 de setembro estará efetuando o pagamento do auxilio alimentação e da gratificação de especialização. “A prefeitura possui apenas 2 milhões em conta, a minha preocupação é que algum desses credores dos R$ 17 milhões entre na justiça e peça o bloqueio da conta bancária, tolhendo esse valor o servidor  ficará sem salário, por isso decidi depositar o valor que já tenho em conta, até entrar o restante da arrecadação do mês na conta  e poder pagar integralmente os nossos trabalhadores” explicou.
TRANSPORTE ESCOLAR
Segundo o Executivo Municipal, o município deve hoje para o transporte escolar terceirizado o valor de  R$ 132 mil reais de débitos e o Governo do Estado o valor chega a R$ 900 mil reais, que não foram repassados para quitar o débito junto as empresas. As empresas então decidiram suspender o transporte até que o Executivo Municipal realize a quitação do débito.
“Esses R$ 132 mil,  são do mês de abril, não posso retirar o dinheiro que tenho para pagar o servidor e quitar essa dívida. Quero honrar com o servidor o salário dele”, frisou o prefeito.
INADIMPLÊNCIA DO MUNICÍPIO
O município possuía 12 inadimplências, restava apenas uma inadimplência para ser limpo totalmente o nome do município, porém o Calha Norte informou ao Executivo que entrou com inadimplência por não devolver recursos. O recurso no valor de R$ 500 mil reais, era para ser devolvido no final do mês de julho, porém foi rejeitado pela câmara municipal. Segundo o Executivo a devolução não é culpa da atual gestão e nem dos vereadores, são recursos que não tem como serem utilizados e precisam ser devolvidos, uma assembleia extraordinária acontece nesta quinta-feira (03/09) para votação da devolução deste recurso.
“Precisamos tirar essa inadimplência, hoje temos mais de R$ 2 milhões de reais em recursos do Calha Norte destinado pela deputada Marinha Raupp e o deputado Luiz Cláudio, porém podemos perder esse valor, se não sairmos da inadimplência” desabafou.
ROLIM PREVI
Um pedido do conselho do Rolim Previ é que o superintendente deveria  ser do quadro de servidores do município. Atendendo a solicitação do conselho, o prefeito conseguiu convencer o servidor Ediler, para ser o superintendente sem ser remunerado, somente para ajudar o município. De acordo com o prefeito o conselho rejeitou a proposta por causa do curso CPA – 10 (certificação em finanças organizada), que o servidor não possui. “O ex-prefeito nomeou pessoas que não eram do quadro e o conselho esperou 60 dias para a pessoa realizar o curso, agora um servidor que é do quadro não pode ser nomeado e esperar o mesmo realizar o curso. Espero que o conselho possa rever isso, pois não é prejuízo para o município, é um beneficio para eles mesmos” explicou.
DECRETO
Durante a coletiva de imprensa, o prefeito falou sobre o decreto, a redução dos salários do Executivo Municipal, dos cargos comissionados e funções gratificadas do município. O decreto nº 3344/2015, visa reduzir o índice da folha que ultrapassou o limite prudencial, além da receita líquida que não atingiu as metas da administração, dessa forma resolveu-se reduzir o salário e gratificações por tempo indeterminando, sendo do Executivo Municipal 30% e dos cargos comissionados 20%.
Ouçam a coletiva:
Fonte: inforondonia

Verifique também

Em Vilhena, homem leva tiro após revelar desejo de transar com mulher de amigo

Um homem foi baleado durante uma discussão motivada por ciúmes na noite deste domingo, 21 …