Lei que proíbe o uso de capacete no comércio é aprovada em Cacoal, RO

Lei seguirá para validação na prefeitura para poder entrar em vigor.
Objetivo da lei é reduzir assaltos praticados por pessoas usando capacete.

postoEm Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, foi aprovado o projeto de lei que proíbe a entrada e permanência de pessoas em comércios, órgãos públicos e estabelecimentos de créditos usando capacete ou outro acessório que dificulte a identificação. A lei foi aprovada na Câmara de Vereadores no incío da semana e seguirá para validação na prefeitura para entrar em vigor. O objetivo da lei  é combater o crime e reduzir os assaltos praticados por criminosos que usam o capacete para esconder o rosto durante a ação.

De acordo com a lei, os responsáveis pelos estabelecimentos deverão fixar exemplares da proibição nos locais de entrada do público. A pessoa que se recusar a retirar o capacete não deverá ser atendida e a polícia poderá ser acionada para resolver o caso. No entanto, não haverá multas para aqueles que descumprirem a exigência.

O proprietário de uma revenda de água e gás conta que já foi assaltado por um criminoso que entrou no estabelecimento usando capacete e levou cerca de R$ 6 mil do local. Por isso, ele é um dos defensores da causa. “Depois de ser assaltado procurei alguns vereadores para saber a possibilidade de aprovar uma lei que proibisse o uso de capacete em estabelecimentos comerciais, tendo em vista que ele dificulta a identificação, os criminosos sabem disso e usam o acessório para cometer crimes, que em algumas vezes terminam com a morte da vítima”, revela.

Em postos de combustíveis e estacionamentos, o condutor e o passageiro precisam retirar o capacete logo após parar o veículo. José Eudes Dias é proprietário de um posto na cidade. Para ele, a lei é bem-vinda, pois irá proporcionar mais segurança aos estabelecimentos comerciais. “Acredito que essa é uma importante medida de segurança. No começo pode haver alguma rejeição por parte da população, mas o cidadão de bem irá colaborar”, explica.

arthur_fabris1O autônomo Arthur Fabris conta que nunca tirou o capacete para abastecer a motocicleta, porém ele concorda com a nova norma. “Em estabelecimento comercial eu concordo em tirar o capacete, mas em posto de gasolina a maioria das pessoas se sente incomodada em retirar o acessório, principalmente mulheres, pois bagunça o cabelo. Por outro lado, há muitos crimes cometidos por pessoas usando capacete, por isso apoio a lei”, aponta.

O prefeito tem 15 dias para sancionar a nova lei, que passa valer a partir de sua publicação.

Fonte: Globo

Verifique também

Em Vilhena, homem leva tiro após revelar desejo de transar com mulher de amigo

Um homem foi baleado durante uma discussão motivada por ciúmes na noite deste domingo, 21 …