segunda-feira, março 8, 2021

Mãe esfaqueia filha por 70 vezes ao se incomodar com jeito que ela estava lendo

Taheerah Ahmad, 39, foi presa depois de esfaquear a filha de 11 anos e incendiar a casa onde moravam nos EUA

 Uma americana, mãe de três meninas, esfaqueou sua filha de 11 anos e incendiou a casa onde moravam em Tulsa, nos Estados Unidos, “por ter ficado incomodada com o modo que a garota estava lendo”. Taheerah Ahmad, de 39 anos, foi presa na noite de terça-feira (15) ao ser denunciada pelos vizinhos que viram uma das crianças escondida dentro de um carro.

Segundo informações do jornal Metro , Taheerah chegou a esfaquear a filha por 70 vezes, além de bater na cabeça dela com uma picareta, colocando fogo na casa “para assegurar que estivesse morta”. As autoridades afirmaram que, depois do ataque, a mulher tentou fugir com a criança de oito anos, enquanto a terceira filha, de sete anos, foi dada como desaparecida, sendo encontrada em segurança junto da avó materna.

Investigações sobre assassinato da filha de 11 anos

A mulher foi detida sob as acusações de provocar um incêndio proposital, abuso infantil e agressão com intenção de matar. Ela está presa sem direito à fiança, enquanto a menina de 11 anos está internada no hospital em estado grave.

Leia também: Mulher grávida é presa e chicoteada 75 vezes por se casar sem a aprovação do pai

Na delegacia, a acusada afirmou aos investigadores que se irritou com as filhas “por elas estarem lendo e a encarando”. Além disso, contou ter amordaçado e amarrado as três garotas.

Um relatório policial apontou que a vítima tentou reagir enquanto Ahmad estava imobilizando suas irmãs, o que a levou a esfaqueá-la “de 50 a 70 vezes”, e depois colocar fogo na cozinha da residência.

A menina foi resgata pelos oficiais e levada ao hospital mais próximo com perfurações no tronco, e cortes nas pernas, pescoço e rosto. A americana se recusou a dar declarações à imprensa no momento em que foi transferida para a prisão.

O sargento da polícia de Tulsa, Shane Tuell, alegou que, se os vizinhos não tivessem agido rapidamente, e que se duas mulheres não tivessem reconhecido a agressora com a filha de oito anos em um subúrbio próximo ao local do crime, talvez nunca tivesse sido presa.

Fonte: mceara.com

Verifique também

Em Vilhena, homem leva tiro após revelar desejo de transar com mulher de amigo

Um homem foi baleado durante uma discussão motivada por ciúmes na noite deste domingo, 21 …