sábado, fevereiro 27, 2021

Padrasto é preso por estuprar enteada de 10 anos enquanto a mãe dormia

Delegado diz que homem fez até sexo anal com menor, em Ariquemes (RO).
Professora desconfiou das dores que criança sentia e descobriu os abusos.

dsc0007
Homem foi preso nesta quarta, após polícia pedir mandado no TJ (Foto: Franciele do Vale/ G1)

Um homem foi preso nesta quarta-feira (1º) suspeito de ter estuprado a própria enteada, de 10 anos, na residência onde moravam, em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. Conforme a Polícia Civil (PC), os abusos aconteciam enquanto a mãe dormia embriagada. Mesmo após a criança confessar os estupros a uma professora e os laudos dos exames de conjunção carnal constatarem os abusos sexuais, o homem disse ao delegado nesta quarta que a prisão preventiva era uma “injustiça”, pois não havia provas concretas contra ele.

De acordo com o delegado Rodrigo Camargo, as investigações iniciaram há 40 dias com a denúncia do Conselho Tutelar, após a menina relatou às professoras que havia sido violentada sexualmente pelo padrasto no final de 2015.

“Realizamos a oitiva com a criança e encaminhamos ao Instituto Médico Legal (IML), onde ficou comprovado o rompimento do hímen. A partir disto, iniciamos as diligências para localizar e identificar o autor do crime, onde posteriormente constatou-se que seria o padrasto da vítima”, comenta.

Segundo Camargo, em todas as ocasiões em que foi indagada, a menina afirmou que o padrasto seria o autor e ainda chegou a descrever detalhadamente como aconteciam os abusos. “Ela relatou os horários que aconteciam, as formas e os tipos de sexo em que era obrigada a fazer. Mesmo abalada psicologicamente com o ocorrido, a criança ainda contou que pedia para o padrasto parar com os abusos sexuais, mas ele não parava e ainda obrigava a manter relação anal”, exclamou.

dsc0011
Delegado Rodrigo Camargo conta como ocorreram investigações (Foto: Franciele do Vale/ G1)

Ainda conforme o delegado, a mãe não sabia dos abusos, pois o padrasto aproveitava da ocasião em que ingeriam bebidas alcoólicas para praticar os delitos. “O padrasto e a mãe ingeriam bebidas, mas por ingerir em maior quantidade ela adormecia embriagada. Por conta disso ele aproveitava por não ter a vigilância da mãe para cometer os abusos”, explicou.

Após ser feito a denúncia, a mãe da criança se separou do suspeito e exigiu que ele fosse embora da residência. Diante dos relatos das testemunhas e do Conselho Tutelar, a polícia concluiu o inquérito e entrou com o pedido de prisão preventiva contra o suspeito. O Poder Judiciário deferiu o pedido, tendo em vista que foi constatada a materialidade do delito, onde apontou veementemente indícios de envolvimento do padrasto.

O homem foi localizado nesta quarta-feira em uma propriedade rural, localizada próximo da reserva indígena da tribo Uru-eu-wau-wau, em Monte Negro (RO). Após ser preso, o homem foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil de Ariquemes, e posteriormente levado até a Casa de Detenção de Ariquemes (CDA), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Ainda na delegacia, o suspeito disse ao delegado que a prisão era uma “injustiça” contra ele.

Fonte: G1/RO

Verifique também

Em Vilhena, homem leva tiro após revelar desejo de transar com mulher de amigo

Um homem foi baleado durante uma discussão motivada por ciúmes na noite deste domingo, 21 …